folhas de outono

folhas de outono

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

CIGARRAS A CANTAR !

Foi pelo destino da amizade que a cigarra veio executar
sua cantiga em forma de poema.
Da qual dedico ao nosso amigo blogueiro
Rosemildo Sales Furtado do blog Artes & Emoções
http://arteemoes.blogspot.com/
CIGARRAS A CANTAR !

Hoje!Estava a sentar
debaixo daquela árvore
da qual balançou com o vento
trazendo a cigarra para compor
à canção de nossas vidas

Hoje!Estava a sentar
debaixo daquela árvore
parei para pensar
no canto da cigarra
que deixou-me uma melodia

Hoje!Estava a sentar
debaixo daquela árvore
silenciosamente ouvi
o cantar da cigarra
que fez-se uma canção

Hoje!Estava a sentar
debaixo daquela árvore
escrevendo um poema
quando à cigarra chegou
compondo o seu canto

Hoje!Estava a sentar
debaixo daquela árvore
quando foi anunciado
o canto da cigarra
neste universo nostalgico

By Severa Cabral
(escritora)
Direitos autorais reservados
lei 9.610 de 19/02/1998


A cigarra com o seu canto estridente e melancólica,
também me traz recordação de infância.
Chegou para lembrar da minha saudade,
com o seu canto que encanta minha alma de escritora.
Será que o canto da cigarra
te traz alguma recordação ?

62 comentários:

Marly Bastos disse...

Severa,
Meu pai sempre media a aproximação pelo canto da cigarra. Ele dizia:"A cigarra está cantando e chamando a chuva..." Particularmente eu nao gosto do canto dela e nem do grilo, pois qualquer som intermitente me incomoda. E quando é uma coisa sem fim dizemos que esta como "Cantiga de grilo" ou "canto de cigarra."
Beijokas doces minha flor da Paraíba.

Palavras disse...

Oi Severa querida,

A cigarra também me remete à infância! Eu tinha um pouco de medo daquele canto frete, parecia anunciando alguma coisa.

Amiga, tenho visitado os blogs uma vez por semana apenas, porque minhas obrigações não me permitem mais. Mas quero que saiba que você Severa, uma das primeiras pessoas que conheci aqui, é muito especial para mim. Você continua sendo a nossa mãezona, a dama da blogsfera, a qual todos nós temos um grande carinho, admiração e respeito.

Bjs linda

✿ chica disse...

A cigarra hoje me remete ao RIO de Janeiro ,na subida do bondinho do Corcovado, onde nunca ouvi tantas juntas.LINDO!!!

E Rosemildo é muito amigo e legal !

beijos prainos,tudo de bom,chica

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Cigarra para mim lembra força de vontade com seu canto ininterrupto e sempre gera muitos poemas.
Adoro ouvi-las cantando.
Obrigada pela sua visita e carinho.
Parabéns pelo texto e poema.
abração com carinho

Everson Russo disse...

Muito belo se misturar na sinfonia da natureza, nessa mistura de sons e cores...beijos de bom dia pra ti amiga.

Everson Russo disse...

Muito belo se misturar na sinfonia da natureza, nessa mistura de sons e cores...beijos de bom dia pra ti amiga.

Giovanna disse...

A cigarra me lembra que o verão está a todo vapor, aqui no Japão as cigarras nos deixam ensurdecedoras, elas cantam o dia todo e em muitas árvores elas estão em bando...

um grande beijão pra ti, que por aqui estamos em pleno inverno, nevando.. a paisagem é lindissima...

Giovanna

Célia disse...

Minha infância foi recheada de cigarras que em árvores faziam aminha alegria "moleca"... Bela recordação! Abraço, Célia.

Daniel Costa disse...

Querida Severa

Ba... boa dedicatória de uma poetisa e secritora, a evocar o talentoso, quiça erudito Rasemildo. A ambos muitas palmas.
Que a Severa nunca se canse!
Beijos

Aclim disse...

Com as cidades a crescer e as crianças a teclar resta aos adultos o canto doce da cigarra e as memórias.

Abraço

Yasmine Lemos disse...

A cigarra é meio poeta ne´? rsss sonha sem parar ...adoro suas paisagens naturais!
beijão Severa e um canto lindo bem no começo do dia!

Alê disse...

Que saudades da minha infância,
Quando ficávamos a ouvir o cantar das cigarras, e minha mãe, contava a fabula da cigarra e da formiga,


Que maneira suave de começar o dia: com cheiro de infância,


Um beijo!

Rô... disse...

oi minha querida,

doce amiga Severa,
lembrar da infância é mesmo maravilhoso,
mas vou te contar um segredo eu tinha muito medo da cigarra,
achava ela muito feia...rsrsrs
coisas de criança,
gostava de ouvi-la cantar mas quando a via saia correndo...

beijinhos

Sotnas disse...

Olá poetisa Severa, e que tudo esteja bem contigo!

Ouvir o canto das cigarras me faz lembrar a infância, pela história lida nos livros, e também me deixa triste em alguns momentos pois o canto me transmite um certo sofrer, principalmente quando vejo as carcaças de cigarras secas grudadas nas árvores. Mas, é a natureza, e, temos de conviver com ela da melhor maneira que pudermos!
Agradeço deveras por tuas visitas e comentários sempre, e por compartilhar com os amigos sempre belos escritos poéticos e belas imagens. Espero que meu PC retorne logo, estou com saudades de visitar os amigos. Desejo a você e todos ao redor um viver deveras intenso e feliz, grande abraço e até mais!

Vivian disse...

Olá,Severa!!!

Ouço bastante por aqui!!É um som interessante!
Uma bela homenagem ao seu amigo!!
Lindas fotos!!!!
Beijos querida!
Tudo de bom!

edumanes disse...

Assim você imaginou,
A formiga e a cigarra
A formiga armazenou
Enquanto a cigarra cantava.

Quando o inverno chegou,
A formiga tinha para comer
A cigarra de fome desmaiou
Porque não quis com a formiga aprender.

Mas não foi para de cigarras e formigas falar,
Que eu aqui estou!
Foi mais para ler e cumprimentar
Uma senhora, que com a sua prosa me conquistou?

No cantar da cigarra,
Estava ela a sentar
Debaixo da árvore escutara
Uma melodia de encantar.

Era a cigarra a cantar,
Severa Cabral, não sabia
Para os ramos da árvore olhar
Mas a cigarra, ela não via.

A cigarra se escondeu,
Seu cantar adormecia
Quando a cigarra apareceu
No rosto de Severa brilhava alegria!

Severa a cumprimentou,
À cigarra dizendo bom dia
Para Severa uma canção contou
Agradecendo a sua especial simpatia!

Mais um dia começou,
A ouvir uma melodia
Severa Cabral escutou
Muita felicidade sentia!

Durante todo o dia caminhou,
Com a melodia no ouvido
À noite com o cantar da cigarra sonhou
Depois de ter adormecido!

Eu que, ainda, acordado estou,
Para uma tarde de quinta-feira, feliz, desejar
Enquanto a cigarra contou
A formiga andou a trabalhar!

Um beijo
Eduardo.

ELAINE disse...

De algumas tarde de minha infância, da chuva...Você é um encanto de pessoa!Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

Yasmine Lemos disse...

Severa querida, li seu comentário .Sei que seu sorriso é livre,e que vem da alma,lembro da sua história de vida (li em Emiliana).Aquele sorriso que falo é dos fracos que até para sofrer não tem dignidade.
mil beijos

Rosi Alves... disse...

Uma doce lembrança assim é o canto da cigarra.

rouxinol de Bernardim disse...

Cigarras do meu Brasil
Cigarras tão empolgantes
São hinos de encantos mil
que nos deixam delirantes...

Liberdade. disse...

Boa tarde!

posso entrar?

belo canto!

um abraço!

Tunin disse...

As cigarras, as cigarras... Sempre nos trazem as lembranças da infância. Pés descalços, boné surrado, ouvindo atento ao cantar da cigarra.
Muito bom. Severa!
Abraços.

Sueli disse...

Oh, minha querida, quando comecei a ler sua poesia, recordações da minha infância foi chegando para ler também. O canto da cigarra marcou muito, principalmente minhas férias, quando ia passar no interior. Adorava dormir ouvindo seu cantar. Sabe, às vezes eu faço alguma coisa no meu outro blog também (um que eu havia abandonado, mas resolvi reativar; quando tiver um tempinho, dê uma passadinha lá, também: suelifenixando.blogspot.com) - resolvi postar as coisas um pouco mais sérias que escrevo nesse antigo. Adoro suas visitas! Beijão!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga Severa! Fiquei muito feliz e deveras lisonjeado com a bela dedicatória que ora me fazes, com este lindo poema Cigarras a Cantar! Muito obrigado de coração.

Quando criança, embaixo de uma árvore, na época, chamada "barriguda", um coleguinha jogou uma pedra para atingir uma pobre cigarra e, o resultado foi que a mesma bateu no tronco e retornou acertando a minha cabeça, cuja marca trago até hoje. Como vês, o castigo sobrou pra mim. Rsrs. Eis aí, a bela recordação que trago da pobre cigarra.

Beijos,

Furtado.

R. R. Barcellos disse...

A cigarra canta
Até rebentar
A Severa encanta
Com seu poetar


Continue cantando, poetisa... mas não arrebente! Beijos!

Everson Russo disse...

Um belo final de semana pra ti minha amiga, muito carinho, amor e muitos versos entre flores...beijos e beijos.

Vivian disse...

Olá,Severa!!!

Tenha um ótimo final de semana querida!!

beijos!!!

Elisa T. Campos disse...

Querida Severa
As cigarras fizeram parte do cotidiano da minha infância quando morava no sítio.
Embora os ziiiisss as vezes incomodasse os tímpanos, afinal tinha que respeitá-los. Estavam fazendo o papel deles, a cantoria do namoro.
É linda a sua poesia e dedicatória ao seu amigo Rosenildo.

Um maravilhoso final de semana para você
Beijos de sua filha do coração.

Sonhadora disse...

Minha querida

Como sempre um belo canto e belas imagens...a fonte não seca nunca.

Deixo um beijinho com carinho e desejo um bom fim de semana.

Sonhadora

allmylife disse...

Este blog me encanta minha querida..Um ótimo final de semana p vc..q seja maravilhoso e abençoado! =*

elvira carvalho disse...

A mim as recordações de infância chegam com o canto dos grilos...
Gostei do poema.
Um abraço e bom fim de semana

Cristal de uma mulher disse...

muito LINDO O CANTO DA CIGARRA,ELA NOS TRAZ NOSTALGIA E LEVEZA NO FIM DE TARDE

BEIJOS AMIGA AQUI TUDO SEMPRE MUITO BELO

Cristal de uma mulher disse...

muito LINDO O CANTO DA CIGARRA,ELA NOS TRAZ NOSTALGIA E LEVEZA NO FIM DE TARDE

BEIJOS AMIGA AQUI TUDO SEMPRE MUITO BELO

lili Rebuá disse...

Com certeza,amiga!!! O canto da cigarra acalma meu espírito e me leva a infãncia de dias felizes...
Parabéns pelo belo poema!
Beijocas!!!

VILMA PIVA disse...

Severa, querida amiga, desde criança até hoje gosto muito das cigarras, gosto do canto hipnotizador que nos leva a procura-las nos troncos ou galhos das árvores. Elas quebram o silencio das matas com seu canto de vida e morte.Parabéns pelo seu bonito canto poetico homenageando o amigo.Beijos, Vilma

Majoli disse...

Ah querida, você começa sua postagem com palavras que vão nos entretendo e nisso nos presenteia com uma linda poesia...e pra finalizar nos faz uma pergunta relacionada ao tem, acho isso ímpar!!

Fiquei a pensar no meu tempo de criança, na chácara em que fui criada, o canto da cigarra se fazia presente sempre, muitas vezes até me assustava de tão forte que era.
Doces recordações.

Linda poesia!!

Um beijo doce no teu coração.

MARILENE disse...

Seu canto não encanta (rss). Mas em suas palavras, vira poesia.

Bjs.

Patrícia Pinna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Severa. Que interessante o seu pensamento sobre a sua infância, suas lembranças, que devem ter sido, apesar de tudo, felizes, pois você é e deveria ser sinônimo de felicidade.
A cigarra não faz-me lembrar de nada em específico, pelo menos agora.
Bom fim de semana de paz, e beijo na alma!

Aleatoriamente disse...

Severa querida.
O canto deste bichinho sempre faz sinfonia na minha janela rsrsrs
Já fiz até ele de astro e fotografei aqui em Brasília as cigarras fazem show.
(Risos)...
Amei o poema, você escreve com leveza e cor.
Obrigada pelo carinho, adorei tua visita.

Beijinho amada

Mery disse...

Você e a cigarra encantam*, Ela com seu cantar, e você com a sua simpatia tão doce...sabe que é uma das pessoas mais carismáticas da blogosfera?
Te admiro muito.

Anne Lieri disse...

Severa,poesia mais que linda!Tb adoro o canto da cigarra e vc versou lindamente!Uma bela canção que me trouxe boas recordações tb!Bjs e bom final de semana!

Imac by Artes disse...

Minha querida!
Que linda poesia!
Amo o canto da cigarra! Por aqui elas fazem uma grande sinfonia todos os dias.
Abraços! Boa noite e um domingo radiante pra ti.

Cecília Romeu disse...

Miss Simpatia!
Garota linda!
Que vestido lindo esse, adoro azul.
Muito simpático também este poema, para cima, eleva! Lindo!

Beijinhos e ótimo domingo :)

Evanir disse...

Bom Dia Madrinha.
Bom recordar!!!!
O canto da cigarra quando morava no campo era divino ouvir seu cantar .
Para mim as cigarras cantam hoje nessa selva de pedra em que vivo mal se consegue ver a estrelas.
E por vezes fico na minha varanda onde ainda posso ver o infinito.
Alma linda venho te desejar um feliz Domingo beijos no coração.

lis disse...

Oi Severa
A cigarra insiste no seu canto e se faz ouvir por todo lado, eu adoro canto de pássaros!
mesmo estando na cidade tenho pássaros vindo á minha janela, espero um dia ouvir a cigarra também!
lindo pos't Severa
com sempre , arraza com suas fotografias, muito fofo seu blog.
e elegante.
deixo beijinhos

Everson Russo disse...

Um belo domingo recheado de carinho e paz pra ti amiga e uma semana repleta de poesia e flores...beijos e beijos.

Loivarice disse...

Boa tarde Severa querida, O canto da cigarra me traz muitas recordações,principalmente da infância, meus pais sempre diziam a cigarra cantando é anuncio de visitas,e olha que raras vezes isso não acontecia,,, bjs e bom final de semana...

Rosa Carioca disse...

Lembra-me calor (bem diferente do que sinto agora).

Sopa de Letrinhas da Leninha disse...

E o canto da cigarra, insistente e sem parar, continua... como a primeira música que se ouviu no dia;;; ahah Saudades de você querida!
Uma linda semana pra ti;;; bjks

Ingrid disse...

linda amiga..
sempre teu canto de amor e alegrias..
gostoso estar aqui..
beijos perfumados.

Ivana disse...

Severa, boa noite!!!
Sim, as cigarras me trazem fortes recordações da minha infância. Eu subia nas árvores para pegá-las, quantas lembranças, que delícia! Tempo tão bom! Um forte abraço, poetisa do canto das cigarras, rss
Bjs!

Artes e escritas disse...

Olá, Severa. Saudades de te visitar! Um poma metafórico entre você e a cigarra, interessante mesmo é que dentro de cada um de nós há um inseto preferido. Há quem goste de besouros e outros do grilo sem nos esquecermos dos pirilampos...Um abraço, Yayá.

Anônimo disse...

Saudades sua,,,
Que me levam a dizer.
Como foi bom o nosso inicio.
Passeios de mãos dadas.
Descontraídos a se beijarem.
Sem nem ligar para que os outros pudessem mal dar.
Como se numa nevoa a passar pela minha cabeça.
Deixando me em tristeza a se martirizar.
Estaria me enganando, se disse se que comigo não estava acontecendo.
Aprendi com o tempo que pode nem haver a volta.
Mas a história grudou se a minha memória.
E no auge da solidão.
Não tem jeito.
Mesmo não se querendo.
Fica difícil o não viajar.
Apegaua,,,
Que como as cigaras ainda tem o dom de cantar.
Ficar bem.

Everson Russo disse...

Um segunda feira repleta de paz pra ti amiga...beijos.

Yasmine Lemos disse...

Vim deixar meu beijo e desejar uma semana linda pra vc Severa!

CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

Boa tarde querida mami Severa. Minha nossa, cantou tanto com a cigarra que até parou de postar hem... Sabe que dia é hoje? Já é dia 30. Então o que houve? tirou férias sem avisar ou cansou de cantar? Nem sempre deixo recadinhos pois sou muito preguiçoso para escrever, gosto mesmo é de fotografar. Ah, falando em saudades, hoje é o DIA DA SAUDADES. Um grande beijo. FIQUE COM DEUS. Te desejo uma ótima semana.

Mariazita disse...

Querida amiga Severa
A mim traz recordações, sim, e muitas.
Quando eu era mais jovem:))) passava férias na quinta, que era bem afastada da estrada de acesso, terrenos extensos no meio de pinheirais. Era um regalo ouvir as cigarras a cantar naquelas noites de lua cheia.
Ai as saudades!

Obrigada por teu apoio lá na minha «CASA». Infelizmente parece não haver solução para o meu problema... Vou aguardar, até me chatear :)))

Boa semana. Beijinhos

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Muitas recordações
se encontram
nas coisas simples.
Um poema,
um canto,
um carinho...


Que cada dia de tua vida,
seja um encontro ou reencontro
com a alegria.

lis disse...

deixando um abraço Severa
um bom dia

Toninhobira disse...

Lindo canto da cigarra minha amiga que sempre me remete a um tempo feliz de interior onde tudo começou.Assim como a cigarra,deixo que me chamem de preguiçoso,mas não abro mão do meu canto,que canta a alegria de viver e saber que no mundo tem gente assim feliz da vida como voce, que nenhuma pedra impediu a caminhada para a realização e assim a felicidade.Sempre adorando ver voce com esta graça em belas fotografias de alegria e paz a paz com voce.Quer coisa melhor? Então cante uma canção bonita que eu ouço daqui uai.
Um beijão minha amiga que o sorriso seja sempre seu cartão de visita.Fique bem e na paz.

Anônimo disse...

Severa, se você não fosse Severa. Seria um arco iris, por se confundir com as cores.
Tendencia de quem ama o simples, de quem ama o belo.
Beijos.